Mensagens

A mostrar mensagens de Julho, 2014

Ai que dor, Sr. Dr.

Sou uma pessoa positiva mas, e acima disso, realista. Por isso, sei que há motivos para me preocupar, apesar de tentar a todo o custo desvalorizar. Noutro campo, esta semana que agora começa será preponderante. Sim ou não e de que forma serão, finalmente, dúvidas desfeitas.
Para acabar o pensamento de forma superficial, porque há sempre coisas piores neste mundo do que as minhas agonias, as férias estão no fim o que significa brancura até ao fim do Verão. Se juntar a isto a minha péssima fotogenia, aqui sim tenho razões sérias para dar um tirinho na cabecinha (tem é de ser ao fim do dia, que de manhã as dores impossibilitam o movimento de disparo).

E agora que o escaldão passou...

... está mau tempo.
É justo, certo?

Ideia de génio / Como arruinar as férias

Acordar (cheguei a dormir?) depois de uma noite fortíssima de copos e ir directa (vá, antes ainda passei no café para comer um hambúrguer e beber uma coca-cola / continuar o processo de desidratação) para a praia, sem protector nem chapéu.
Em minha defesa, antes de pisar o areal comprei uma água, achei mesmo que alguém ia chegar com chapéu de sol e não tencionava ficar mais do que uma hora. Ainda assim, admito que mereço o desfecho da história: sou um camarão do pescoço para baixo - tive a decência de proteger o rosto com a camisola -; besunto-me em creme de hora a hora; estou trancada em casa em vez de estar na praia a aproveitar as férias com consciência. #PARAAPRENDER
[Custa ainda mais porque eu sou a pessoa que se protege sempre destas situações estúpidas.]

Lisboa, meu amor

Os dias em ti nunca chegam. É impossível reunir toda a gente, revisitar todos os locais, matar todas as saudades e experimentar todas as novidades.
Prefiro viver tudo em pleno mas chateia-me que ao demorar nos teus pormenores o tempo me fuja.
Digo muitas vezes que morar de novo com os meus pais foi uma agradável surpresa, que gosto muito da vida que levo em Leiria (novamente das pessoas, dos lugares, da sensação de paz e realização) e que neste momento não sinto que faça sentido mudar, mas continuo a gostar de ti como antes (e a desejar que pudesses ser ainda mais perto para te ter, a ti e aos nossos, ainda mais vezes).

Oi migos

Estou de férias :D

Sou só eu?

O fim-de-semana passou a voar como, de resto, todos os dias têm passado. Tanto faz se há muitos eventos, se quase não saio do escritório, se as notícias são boas, se são assustadoras, se saio para dançar, se ficamos a namorar, se vou dar um salto à praia ou se fico a tomar conta da afilhada mais encantadora do mundo. Passa tudo num ápice, mesmo quando estou empancada no trânsito ou são dez da manhã e imagino as 18h30.
Não sei se estamos todos no mesmo barco ou se de repente fui sugada para uma realidade paralela mas o que é certo é que quando dou por mim, já passou outra semana e já passaram os marcos que tinha na agenda para daí a um mês.
De loucos.
E por falar em marcos, hoje começa a minha 53ª semana na empresa. Já não era altura de me espantar com a velocidade a que o tempo corre mas continuo a ficar perplexa. Um ano que parece surgir do nada e, no entanto, tem tanto lá dentro.
Jesus.
Alguém que acalme a máquina do tempo ou daqui a um mês estou velhinha de fraldas.

Tou *buéda* cansada,

Mas realizada.(Quando a coisa acalmar prometo que deixo o modo twitter e regresso ao modo blog).