Mensagens

A mostrar mensagens de Fevereiro, 2015

LES Report / Yap, estou viva

Tirando o facto de não dormir duas noites seguidas desde o início do ano (somando, nestes dois meses, devo ter dormido umas oito noites), está tudo bem. E isto seria um mal menor se a falta de descanso não se traduzisse numa desorganização do metabolismo e não trouxesse consigo uma série de consequências bastante negativas.
A minha paciência e o meu humor têm sido largamente afectados pelo que descrevo acima e, nas últimas semanas, o cansaço deixou de ser apenas mental. Tenho cada vez menos força, canso-me com facilidade e, top dos tops, esta semana até passei dois dias a vomitar. Por isso, actividades extras têm sido empurradas para o fim-de-semana (normalmente, mas nem sempre, durmo à sexta-feira, o que me permite estar on fire ao sábado), limito-me a trabalhar e a vegetar durante a semana e a lista de pendentes volta a inverter a tendência: depois de um ano a vencer a inércia (chamava-lhe cansaço porque não conhecia isto que sinto hoje) e a tornar-me super eficiente na gestão de t…

"Só sei que nada sei"

A minha memória está tão má, mas tão má, que as pessoas à minha volta já se divertem a acusar-me de coisas que não fiz, só para verem a minha cara de perplexidade, what the fuck, seguida de um tímido "não me lembro, mas se calhar fui eu..." e um ar de confusão imenso, enquanto me obrigo a lembrar de qualquer coisa relacionada com o assunto (sem qualquer sucesso).

A minha maior prova de amor

Ir para Lisboa, de sorriso nos lábios, depois de séries de dias sem dormir. Completamente rota, a dar as últimas, mas sem hesitar: porque apesar de não ir à bola com ursos de peluche e piroseiras que tais, vou à bola com o amor.
[Todos os dias do ano, mesmo naqueles em que só queria enterrar a cabeça na almofada e apagar].

"Se eu morrer, geres o meu perfil no Facebook?"

Há muito tempo, interroguei-me exactamente sobre isto: quando morrermos, quem é que avisa o Facebook? Ficamos com um perfil fantasma, para a eternidade? Aqueles amigos, que são só conhecidos ou não souberam do sucedido, vão continuar a dar-nos os parabéns quando o Facebook o sugerir?
Não é um tema particularmente importante mas é o tipo de questões que, às vezes, me assola. Há que admitir que é estranho ter, nos amigos sugeridos, um morto. E, ainda mais creepy, dar-se o caso de o adicionarmos, "ele" aceitar, comentarmos isso com algum amigo do género "olha, adicionei o Zézito que andou connosco na colónia" e receber como resposta "então mas esse gajo não tinha morrido?!”. Felizmente, esta é uma discussão que será esclarecida facilmente, se acedermos ao seu perfil e visualizarmos o post com o anúncio da hora da missa de sétimo dia.
Sim, parece que a malta do Facebook também já se andava a debater com isto (se calhar deviam contratar-me) e chega, agora, uma nov…

Long time no see

Imagem
E se, normalmente, a ausência é sinónimo de grandes vidas, desta vez foi sinónimo de grandes merdas. Tudo se resolve. *boneco a piscar o olho*

[Há dois anos estávamos aqui, no segundo país mais bonito do mundo.]