Diário da doente #1

Vinha dizer que o melhor de estar internada era ouvir o som do altifalante que é igual ao dos aeroportos e esperar secretamente que chamem por mim que já estou atrasada para embarcar para as Ilhas Gregas mas não, o melhor são mesmo as visitas que me trazem coisas deliciosas para comer, cartões com Joaninhas, desenhos, corações, todo o tipo de revistas e jornais (ter amigos jornalistas dá jeito até quando se está com o pé para a cova) e vêm de propósito de Lisboa com uma garrafa de amêndoa amarga.

Quanto à alergia, não tenho novidades: mais um diagnóstico pendente para juntar ao fofo que está desde Julho a ser "estudado".

Em suma, tivesse eu wi-fi e zero comichões e isto eram umas férias de luxo (tenho uns chinelos feios e duas idosas no quarto mas vamos esquecer isso enquanto estou na sala-de-estar).

Comentários

  1. Estar internada não é nada jeitoso, não... Eu já estive e, felizmente, já tem algum tempo e não me apetece repetir mas lembro-me bem... Força aí! Daqui a nada estás livre e de boa saúde :)

    ResponderEliminar
  2. Doente mas com sentido de humor. :)
    As melhoras.

    ResponderEliminar
  3. Ahaha querias wi-fi! Também eu quis muito, mas não, não pode ser. Contenta-te com os dados móveis ehehe.
    Mas não dexcobrem o que é essa porcaria?!

    ResponderEliminar
  4. Apesar de ter sido por um motivo bem diferente (e facilmente diagnosticável) sei exactamente o que sentes. Não teria descrito o meu internamento de melhor forma. :)
    As melhoras, querida. Estou a torcer para que saias daí depressa.
    beijinho grande

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Ponto da situação

Porta-Tazos #1 - Viva a nossa camionete!

Sobre a épica ida ao Porto