Quando ter má memória é bom

Abrir caixas (e pastas digitais) e deliciar-me/morrer a gozar com as coisas que descubro de mim mesma. Hoje: um ficheiro áudio de 2012 onde canto e toco (honestly, não sei qual das duas acções faço pior) a música Baby when you're gone; o melhor videoclip que fizemos na vida e a prova de que andámos sempre à frente do nosso tempo (chama-se Nuz África, data provavelmente de 2005 e põe a um canto a maioria dos youtubers de sucesso actuais); um edital de 2010, relativo ao Pic-Nerbic; uma foto bem recente onde tentei fazer de super homem, na Basílica de S. Pedro, com a capa que me deram no Museu do Vaticano para tapar os ombros desnudos. Podia dar-me para pior.

Comentários

  1. Ahahah, também descubro uma série de coisas quase inacreditáveis - e que já não fazia ideia que tinham acontecido - quando me ponho a organizar pastas e ficheiros mais antigos.

    ResponderEliminar
  2. Sabes que agora vais ter que postar esse ficheiro audio e o videoclip, não sabes? :P

    ResponderEliminar
  3. Ahah! Não queres publicar nada disso aqui? :P

    ResponderEliminar
  4. Estudante e Jedi, seria a maior se o fizesse e vocês iam certamente fazer-me vénias perante o meu talento mas ainda não me sinto com coragem para tal aha.

    ResponderEliminar
  5. ahah aposto que essa foto está top. isso acontece-me frequentemente, a minha memória é uma merda, então quando encontro coisas antigas é sempre uma surpresa.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Porta-Tazos #1 - Viva a nossa camionete!

Sobre a épica ida ao Porto