pessoas = desenhos animados

   Quem me conhece sabe que, inconscientemente, associo as caras das pessoas a desenhos animados. Acontece-me há anos, não acontece com toda a gente e se alguém me disser "diz-me lá com quem sou parecido" tenho um bloqueio mental e não consigo relacionar. Acontece por acaso, não sei mesmo explicar porquê e, como tenho má memória, muitas vezes nem consigo exprimir o desenho animado em questão.
   No conjunto de pessoas que conheço há de tudo: Moto Ratos, Hugo (à esquerda e à direita), Dino (dos Flintstones), Minnie, Alf, Lilo (Lilo & Stitch) Egas (Rua Sésamo), entre muitos outros que acabei por esquecer.
   Ontem o N. apareceu-me de óculos e eu disse "pareces um rato, com óculos". Ele, já habituado a isto - e bastante descrente, como sempre - exclamou um "ya, há imensos ratos com óculos". "Um dos desenhos animados, acho que era cientista", respondi. Telepaticamente chegámos à mesma personagem ("um que fazia sons estranhos","era o riso que era estranho!", "até acho que tinha um assistente"), mas nem sinais do nome do bicho.
   Obcecados, fomos ao Youtube. Nada. Google. Ele pesquisou em inglês. Mil e um ratos. Fiquei impaciente, fui também pesquisar "science mouse glasses". Milhares de resultados. Pensei que em português seriam menos. Escrevi. "Rato óculos ciência". Algo assim. Descobri a imagem! "ENCONTREEI". "Boss", exclamou ele. Era mesmo aquele. Nome? Não, só a imagem. Ei, o assistente era uma luva! Abri outra imagem e lá estava: Dr. Cobaia!


   Fiquei feliz de uma maneira que não consigo explicar. Acho que foi mais por ter vencido a minha péssima memória, que cada vez mais vai afundando tudo, do que por ter sido eu a conseguir achar - até porque a minha área de estudos me obriga a dominar as ferramentas de pesquisa.
   Enfim, não eram os meus desenhos animados favoritos, a voz do rato até me irritava muitas vezes, mas via e de certeza que ele me ensinou muitas coisas giras - uma, pelo menos, retive até hoje: como mudar a cor de flores. Fiz a experiência com um cravo, na cómoda do corredor. O cravo era branco, ficou azul. e tudo graças ao Dr. Cobaia me ter ensinado que se pusesse aguarelas na água da jarra, a flor mudava de cor. E mudou.

   Para nunca mais me esquecer dele e porque desde ontem que ecoa na minha cabeça a música do genérico, aqui fica. Nota de cultura geral: esta produção é de autoria portuguesa e data de 1995.

Comentários

  1. Eu também associo pessoas a personagens! Há o Alf, o Brain ( Pinky and Brain), o conde de contar (rua sésamo), etc! E por vezes também tenho dificuldade em chegar a nomes.. é ver o meu ar de desespero a remexer nas lembranças mal arrumadas!

    (não sabia que as aguarelas faziam isso... vou tentar com as minhas!)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Ponto da situação

Porta-Tazos #1 - Viva a nossa camionete!

Sobre a épica ida ao Porto