De mão em mão #2

   Tudo começou com a vontade de me desfazer de algumas coisas que, estando em perfeitas condições, já não me agradavam por diversos motivos. OLX e sites do género podiam ser a solução mas não queria ser só mais uma no meio de tanta oferta, pelo que me dirigi a uma loja de roupa em segunda mão pronta a enriquecer - ignorando as burocracias e as exigências com datas, preços e marcas, que em 5 minutos inviabilizaram o meu negócio.
   Dias mais tarde, estava a almoçar com a I. quando ela pegou numa revista e disse "olha, podíamos vender roupa em segunda mão". Contei-lhe o meu frustrante episódio. Delineámos um plano. Fizemos contactos. Apareceram os entraves. Aceitámos uma sugestão e fizemos algo completamente diferente do planeado, numa de quem não tem nada a perder. Testámos reacções junto a um público que nem era o pretendido. Vendemos qualquer coisinha. Passaram-se umas semanas. A ideia inicial continuava cá (e alguns montes de roupa também). Várias pessoas estavam a pedir-nos que vendêssemos também as suas peças. Chamámos a R. Avançámos e fizemos o primeiro showroom do de mão em mão, que deixou de ser uma experiência para passar a algo que ainda não sabemos qualificar.
.
 Sabemos, para já, que foram 5 dias intensos a receber e entregar roupa, sapatos e acessórios para todos os gostos, tamanhos e carteiras. Fomos congratuladas mas também assistimos a expressões de choque - "roupa usada?!".

 Centenas de visitantes e muitos artigos a ganhar novos donos. Uma aventura de onde estão a surgir propostas e ideias que ainda não decidimos como gerir, mas que podem dar corpo a algo interessante - ou talvez não, mas pelo menos já serviu para entreter três recém-licenciadas/desempregadas e deixar portugueses contentes. Para já, parece-me que daqui em diante nos vão cair peças únicas e belos achados no colo (não se preocupem, não somos egoístas e partilharemos tudo! ;))
.
   Quando era pequena brincava, sobretudo, a duas coisas: às escolas e às lojas de roupa. Que tenho vontade de vir a ser docente no futuro, toda a gente sabe. Que um dia ia estar a vender roupa, num projecto meu, ninguém diria...

Comentários

  1. Tenho umas sabrinas novas da Zillian número 36 que nunca usei porque não me servem. Também estou a falar com a pessoa certa?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tenho de saber a tua zona de residência para te poder aconselhar, se souber de algo fixe por aí :)

      Eliminar
    2. Tens mail para eu responder assim de forma muito privada?

      Eliminar
  2. eu já vendi a maioria das minhas coisas online, mas dava um trabalhão, andava sempre a correr para os correios. acho que negócios e ideias como esta são de louvar, eu costumo ser cliente e não tenho nada contra roupa em 2a mão, muito pelo contrário, sou uma grande apologista!

    ResponderEliminar
  3. Bom projecto! Reciclar vai ser cada vez mais usual, e estando a ser uma pioneira terás vantagens!

    Uma pergunta, porque não aproveitas o tempo entre showrooms e adicionas às peças uma mais valia? Algo que seja tendência, juntar acessórios à roupa, etc. Assim poderias até ter outra clientela até então "indignada".

    Força aí =)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Ponto da situação

Porta-Tazos #1 - Viva a nossa camionete!