Não sou mesmo bicho domesticável

Há duas semanas que chego a casa mais tarde do que o habitual e, ao contrário do que seria de prever, os níveis de energia estão nos píncaros. Razão? Entro todos os dias a horas diferentes. 

E não, não ando a trabalhar menos tempo (até faço mais um bocadinho do que o normal), mas o facto de ter extinto a rotina de apanhar sempre o mesmo autocarro, à mesma hora e com as mesmas pessoas, dá logo outro sal à vida. Assim, uns dias apanho o fresco da manhã e noutros já levo com o sol que faz tostar. Parece um pormenor sem importância mas já percebi que, em mim, a monotonia faz estragos tamanhos. E é tão bom, sair sem saber quem vamos encontrar ou que histórias vamos ouvir - ou, mesmo sabendo, que não sejam permanentemente as mesmas (para a semana a rotina está de volta e pode durar meses, a ver se sobrevivo).

Comentários

  1. Tosta-te lá bem nos dias que apanhas sol. Leva umas jolas para refrescar hehehe

    ResponderEliminar
  2. Às vezes a rotina pode ser mesmo horrível... Mas espero que consigas lidar bem com ela e quem sabe daqui a nada voltas a ter uma horário saltitante (não me ocorreu outro nome) :P

    ResponderEliminar
  3. Assim é sempre diferente, um novo dia :)

    ResponderEliminar
  4. Assim todos os dias são diferentes ;) mas eu confesso que em termos de horários, prefiro a previsibilidade :P

    ResponderEliminar
  5. Em geral detesto a rotina mas a minha memória de peixe dourado exige horários mais ou menos certinhos para evitar o caos total :)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Ponto da situação

Porta-Tazos #1 - Viva a nossa camionete!