Postas de pescada

   Hoje aturei duas peças. Duas distintas personagens, daquelas que cada vez mais me convenço que só me calham a mim. Ou maioritariamente a mim, vá, que devo ter íman para atrair criaturas peculiares.
   Eu juro que até acho graça a pessoas diferentes, mas há doses que me ultrapassam, principalmente quando a parte estranha desses seres se prende a pormenores como a falta de higiene ou de educação. Calhou-me, portanto, um azeiteiro do pior (que inclui no seu show de variedades bocejar de boca escancarada para cima de outras pessoas) e uma miúda armada em chica esperta. Felizmente, o karma agiu bastante rápido e os dois galos da capoeira ficaram a piar baixinho num instante, sem que eu tivesse de dispensar energia a mandá-los para um sítio que eu cá sei.
   Hoje foi um daqueles dias em que acordo de madrugada. Por esta hora (meia-noite), já estou mais do que K.O. Queria discorrer sobre suas excelentíssimas aberrações mas os meus neurónios estão debilitados e o som alto da sala, com a Casa dos Segredos, não está a ajudar. Vou, por isso, retirar-me - triste, claro, por saber que a minha memória vai varrer tão dignos momentos da história da humanidade. Mais oportunidades virão de falar sobre eles - infelizmente.

Comentários

  1. Já vi o que Nós temos é mel para atrair melgas :P

    Descarreguei o que pude no Azeiteiro e no outro. Mas também no telemóvel :x. Agora ta quase todo desmanchado, mas a funcionar.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Ponto da situação

Porta-Tazos #1 - Viva a nossa camionete!

Escrito em Fevereiro de 2016